Simplifique

Sua maneira de ver o mundo. Ele é mais simples do que parece, você é que insiste em criar artifícios e artimanhas para fazê-lo, pintá-lo, encará-lo pior do que é. Simplifique sua maneira de falar com as pessoas, na verdade, use uma única palavra para tudo: sinceridade. Simplifique sua maneira de andar e entenda, de uma vez por todas, que caminhar é saber cair no ritmo certo. Portanto, cair faz parte. O Importante é saber levantar no tempo certo e, sobretudo, não cair duas vezes no mesmo buraco. Simplifique sua maneira de respirar. Tudo é oxigênio até que provem o contrário. Mas respire vagarosamente, sem medo de se afogar. Pense no ar e seja o ar. Mas não um balão porque, normalmente, lá no alto eles começam a esvaziar e a cair. Manter-se no alto, portanto, é menos inflar-se do que saber o quando querer engolir de ar. Simplifique o modo como você vive. Plugue menos coisas em você e seja você mesmo sua interface com o mundo. Você é a interface, não se esqueça disso. Você é a interface.

Compartilhe

Seus problemas para que fiquem mais leves e seus sucessos para que sejam mais intensos. Compartilhe suas idéias porque estamos precisando do novas cabeças, principalmente daquelas que têm a invejável habilidade de permanecer em seus respectivos pescoços mais do que as outras. Compartilhe seus segredos, pois, diferentemente do que se pensa, é assim que eles e tornam mais secretos. Compartilhe uma boa ação por dia e ela se tornará duas, depois oito, depois 16 e depois 64 e assim infinitamente, ou o que vier primeiro. Compartilhe cinco minutos por dia com sua alma, olhe para ela e goste do que vê. Ela é você. E você, mesmo que não acredite, é Deus. Compartilhe o Deus que você tem em você com o Deus que os outros têm neles – Namasté. Compartilhe e seja Compartilhado por outros e mais outros e outros. Dividir é multiplicar. E o resultado não tem resto. É absoluto como só as verdades transitórias sabem ser.

Acredite

Em sua lenda pessoal. Em suas mentiras. Em suas dúvidas. Em sua beleza. Em seus erros. Fundamentalmente acredite. Mas não seja cego. Constitua sua crença de boas intenções e razões de sobra. Mesmo que seja sua versão da história, ela precisa soar consistente. Esta á sua defesa. Acredite nos outros – eu sei é difícil e machuca sempre. Eles têm uma boa razão, principalmente, para fazerem coisas ruins. Acredite tanto e se projete dentro de cada um de seus amigos. E dos inimigos também. Seja os erros deles. Entenda-os. Isso é acreditar que todos somos um. Acredite que você precisa de pouco – simplifique – que você nunca tem de menos que não possa dar ou demais que não possa receber – compartilhe.