Startup Mesmo Destino cria a fórmula simples para conectar mochileiros de todo o mundo e que desejam ir para o mesmo destino em datas próximas ou iguais: a amizade.

O carioca Paulo Vitor Cortez (pai da invenção e pós-graduado em Análise de Sistemas pela PUC-­RJ), no ano de 2008, fez contato com pessoas que estavam indo para o mesmo destino que o seu, através do finado Orkut (R.I.P.).

Paulo marcou encontro em Salvador (BA) com mais dois amigos (de Orkut) e saíram nordeste afora mochilando. A empatia ao se conhecerem pessoalmente na capital baiana ajudou  e a coincidência de datas e mesmo destino fechou o “pacote de viagem”.

Foi a partir dessa experiência de conhecer pessoas através do Orkut e que tinham o mesmo destino que o seu, que Paulo Vítor Cortez, começou a, digamos, moldar a ideia da startup que tem hoje: A Mesmo Destino.

A startup serve para conectar quem tem o mesmo destino e preferências (orçamento para viagem, parques que deseja visitar, tipo de acomodação, meio de transporte) e oferece a oportunidade de cruzar essas preferências  de data e destino e conectar mochileiros que coincidem entre si.

A ideia era que “pessoas  pudessem  se  conhecer  e  planejar juntas  uma  viagem.” Uma vez ajustada, a idéia foi ao ar no ano de 2015 através do Mesmo Destino, startup que é a iniciativa do Paulo Victor, que eu experimentei, não custa nada (literalmente) e é muito maneira!

Você vai no site Mesmo Destino preenche os campos e faz login com o seu Facebook. Pronto! O site trata de encontrar pessoas que têm o Mesmo Destino que o seu e já mostra a foto e perfil do Face e tudo mais. E aí começa o contato. Fiz uma simulação de destino, encontrei dois viajantes e, na boa? Seriam pessoas legais, me identifiquei com aspectos de diferentes em cada um. Uma moça e um rapaz. Ela de Minas e ele de Santa Catarina. Depois cancelei a viagem. Não deu pra ir…

Realmente achei uma iniciativa extremamente rica poder conhecer pessoas que querem o mesmo tipo de experiência que você em uma viagem. Sim porque não é a viagem (que conta) em si mas, o que você quer trazer (dentro de si) de lá como experiência de vida. Eu, por exemplo, sempre que posso, grito nas redes a necessidade de ter árvores no mundo e a minha vontade em conhecer a Amazônia.

Mas, então, o tipo de experiência que eu quero é uma vivência o mais próxima possível das tribos e sem o luxo enlatado dos resorts, ou seja, adoraria que um simples aplicativo colocasse parceiros de viagem de alma boa e coração puro na palma da minha mão e dalí surgissem amigos para a vida inteira cujas famílias se visitariam mutuamente a cada Natal e Páscoa e seriam eternamente amigas. No mundo perfeito seria, mas…

Sabemos que no mundo real, meus amores, não bem é assim. Infelizmente temos que admitir fakes de bandidos no Facebook existem aos montes. E se, Deus o livre e guarde uma hora dessa, algum usuário do site, após dias embrenhado na mata, simplesmente, desaparece? Família, amigos, todos procuram pelo rapaz, até que a polícia, rastreando as redes sociais dele, descobre que a sua última viagem fora programada através do site e que 3 rapazes do mesmo grupo desapareceram na mesma data, porém, só um corpo foi achado na mata:

Quais as políticas de segurança adotadas?

“A Mesmo Destino viabiliza contato entre os viajantes, porém, as precauções quanto ao relacionamento que surge a partir da plataforma são de responsabilidade das próprias pessoas. Porém, a startup incentiva que se conheça o máximo possível a pessoa com quem se pretende fazer a parceria de viagem. Por isso, há a integração com as redes sociais, sobretudo o Facebook. Com mais investimento em marketing, já nos próximos meses, a intenção é familiarizar ainda mais o usuário com o site, a fim de que a experiência seja positiva. A Mesmo Destino soluciona os problemas da impessoalidade e do anonimato dos fóruns das redes sociais e internet em geral, recurso que era costumeiramente usado por viajantes para se conhecerem.”

Respondeu-nos o assessor de imprensa Thiago Marcone que foi perguntado sobre a questão da segurança, mas devidamente poupado do meu arroubo criativo estilo Agatha Christie dos trópicos.

Detalhe: O aplicativo de viagem (que eu achei que fosse viagem minha de mundo perfeito) já está a caminho, pois, em breve o app da Mesmo Destino estará disponível, também destacou o assessor de comunicação.

No mais é deixar a concha (ou no meu caso, o casulo), botar a mochila nas costas e sair por aí desbravando lugares e pessoas. E disso eu gosto:

Desse gosto de entrar nos lugares e nas pessoas.

Beijo me clica!®