kirigami_autor.jpgVou confessar uma coisa aqui que achei que nunca teria coragem: eu nunca tive um cartão pessoal. Sabe esses que você entrega na reunião com o cliente? Nada. Já tive portfólios diferenciados, peças promocionais sobre meu trabalho, e-mail marketing…o escambau. Mas o bom e velho retângulo de cartolina…nunca tive. Isso porque nunca havia chegado a um layout/formato que me agradasse verdadeiramente.

Então, sem mais nem porque, recebi um e-mail do Daniel, da KYD – Design&Paper, que trabalha com Cartões Pessoais em Kirigami, ou seja, a mistura de kiri (corte) + kami (papel). O resultado, que vocês podem ver ao final da entrevista é simplesmente de cair o queixo.

Trocamos e-mails esta semana e fechamos esta entrevista que conta um pouco da história da técnica e de como ele trabalha com parceiros em diversos tipos de projeto. Achei bacana trazer para vocês aqui. Não deixem de comentar, visitar o site e encomendar os seus.

CarreiraSolo – O seu trabalho é artesanal. Uma coisa que me ocorre é que neste mundo de replicações e produção industrial, você apresenta uma solução interessante que sai direto de suas mãos, num prazo até aceitável (7 dias). Você acredita que o artesão ainda tem vez no mercado de design?

Daniel Kawasaki – O trabalho de um artesão é limitado para poucas peças e enquanto de um designer é criar peças para a massa. O que eu fiz foi utilizar técnicas artesanais (Kirigami) juntamente com o design para fazer coisas diferentes para o mercado.

O material escolhido para esse tipo de trabalho foi o papel, pois pode ser utilizado tanto artesanalmente e também para a massa (gráficas). Além dos cartões de visitas, posso criar folders, um livro de histórias infantis, peças publicitárias ou até produtos que replicam o original como um celular.

CarreiraSolo –Conte para gente a origem desta técnica. Existe alguma limitação de formato?

Daniel Kawasaki –O Kirigami (kiri (corte) + kami (papel) mas juntando as duas palavras japonesas se fala kirigami) vem de origem japonesa, em 1982, quando Masahiro Chatani confeccionou cartões de “ano novo” para amigos.

A idéia era para que na parte interna do cartão pudessem sair do plano para o espaço (conhecidos como pop-up cards ou origami arquitetônico). Utilizei essa técnica para os cartões de visitas com medidas padrões 9x5cm fechado, mas a técnica pode ser utilizada em vários formatos e desenhos. Criatividade e um pouco de noção de 3D.

CarreiraSolo –Como é o eqüilíbrio entre a criação de
seu cliente e suas sugestões?

Daniel Kawasaki –O cliente me
envia seus dados e a logomarca da empresa (se houver) e faço a criação
de acordo com a logomarca e as cores. Após a criação do modelo, tiro
fotos e envio via e-mail. Quando a sugestão é aceita, o cliente dá um
ok e em até 7 dias os 50 cartões são enviados via Sedex.

Mas quando o cliente solicita alguma alteração no cartão, é feito a alteração e enviado novamente as fotos por e-mail.

CarreiraSolo –Quais são hoje seus clientes? Pergunto
isso porque entre os leitores do CarreiraSolo encontram-se muitos
designers que poderiam estabelecer com você uma parceria para a já
batida solução de cartão pessoal. Você encara este tipo de parceria
numa boa?

Daniel Kawasaki –Meus clientes
vão desde empresários, arquitetos, médicos, advogados, artesão,
clínica de estética, empresas diversas e até pessoas físicas que
querem cartões diferenciados. A parceria sempre e bem vinda e estamos
a disposição para tirar dúvidas no e-mail kirigami@kyd.com.br

Para fechar
Não podia fechar a entrevista sem contar duas coisas para vocês: a primeira é que a partir de agora eu terei meus cartõezinhos. Sente só a onda:


mauro_amaral_foto_03.JPGmauro_amaral_foto_02.JPGmauro_amaral_foto_01.JPG

E não pára por aí: o portfólio do Daniel inclui projetos para Arquitetos, Médicos, Advogados, comerciantes etc etc. Então está combinado assim: próximo projeto que pintar por aí, você indica este trabalho e vocês formam uma parceria, beleza?

kiri1.JPGkiri2.JPGkiri3.JPG

kiri4.JPG

kiri5.JPG

kiri6.JPG

kiri7.JPG

kiri8.JPG

kiri9.JPG