Antes uma caixinha no centro da sala, hoje um fluxo de entretenimento que mora “na nuvem”. O que mudou em 80 anos de TV?

A TV fez 80 anos no último dia 2 de novembro e ninguém imaginaria que tudo começou numa disputa de cara ou coroa entre 2 inventores que apostavam ser o seu, o melhor método de transmissão de imagens.

A BBC já existia, mas, o start rumo à enormidade que possui hoje, aconteceu a partir daquele momento. Os sistemas de transmissão eram de 250 (mecânico) e 405 (eletrônico) linhas horizontais de imagem, e foram sendo intercalados semanalmente de forma experimental, até que o perdedor do cara ou coroa, o representante da empresa Marconi-EMI e seu sistema eletrônico de 405 linhas foi o escolhido em definitivo.

Tudo era feito ao vivo e, por falta de recursos que hoje estão nas teclas do controle remoto, por vezes era preciso passar várias camadas de maquiagem sobre a pele dos artistas para que atingissem o contraste certo. Um show musical marcou aquele 2 de novembro de 1936 como sendo a abertura da rede de TV BBC que tinha naquele momento, 400 aparelhos de TV ligados na sua inauguração. E, sim, o conteúdo está disponível até hoje:

Para a sorte dos artistas e demais profissionais da época, as transmissões eram feitas apenas 2 horas por dia e demandavam esforços hoje inimagináveis para se ter uma imagem de qualidade na tecnologia que ainda era em preto e branco.

Na Londres dessa época poucos eram os acontecimentos que mereciam a notoriedade de aparecer dentro das estritas 2 horas de programação televisiva da BBC, mas, a coroação do Rei George VI foi transmitida ao vivo em 12 de maio de 1937. A Segunda Guerra interrompeu o sonho que só continuou a acontecer quando a paz voltou a reinar no mundo.

E a partir daí o maior meio de comunicação de massa de todos os tempos, não substituiu o rádio, mas aprendeu com ele. Adaptou novelas, transmitiu competições esportivas, apresentou programas de notícias, comédias. Tudo ao vivo.

E de lá pra cá o que mudou?

Primeiramente o fato de deixar de ser 100% ao vivo já trouxe novos ares às transmissões televisivas, depois a entrada das cores nas imagens fez as pessoas quererem ainda mais ter um aparelho de TV em casa. Dizem os mais antigos que era possível cobrar ingresso de quem quisesse assistir TV tamanha a procura dos espectadores e a raridade de aparelhos.

Hoje é mais fácil você entrar numa casa sem banheiro, do que sem TV. Acreditem eu já entrei, a TV era de 29 polegadas e o ano era 2005.

Mas nostalgias à parte a TV se tornou hoje um momento especial nosso de cada dia. Juntar a família para assistir séries, ou chamar o maridão para ver aquele pornô no fim de semana das crianças na casa dos avós, a hora sagrada do jornal da noite ou da novela tarde, são eventos programados com direito até a petiscos e bebidas para celebrar o momento.

A HBO, por exemplo, trouxe a estética, linguagem e roteirização do cinema para a TV e o resultado são séries que conquistaram fãs pelo mundo inteiro e são pauta de discussões calorosas nas redes sociais, mesas de bares e grupos de whatsapp. Quem não se revoltou com a morte do John Snow na série Game of Thrones que atire a primeira pedra.

Já o Netflix criou uma produtora de séries e filmes sem necessariamente ser uma emissora de TV e nem um canal do Youtube. Podemos dizer que a Netflix é um modelo compacto e inteligente que soube usar a força da internet para transmitir suas produções e que conta com a fidelidade de espectadores nos cinco continentes e que, segundo dizem, suas produções viciam. Sabe Stranger Things? Pois é, a montanha-russa de referências oitentistas volta em sua segunda temporada em 2017!

O Youtube dispensa apresentações, pois, é o palco mais democrático de todos até o momento. Aos youtubers é permitido que postem os vídeos mais bizarros ou criem canais caprichados e de sucesso, como é o caso do Porta dos Fundos que é um dos maiores exportadores de atores para a TV brasileira tradicional.

O fato é que a maioria de nós já abriu mão de sair para uma balada só para assistir àquele capítulo da nossa série favorita ou pior, foi trocada pelo sofá e o time de coração do namorado. Ok meninos, sem crise! Eu também deixo quase tudo de lado para ver o meu Corinthians, enfim, coisas de quem ama.

Agora deixa eu correr porque o meu programa favorito já vai começar e se eu ficar aqui de papo com vocês perco a abertura, que apesar de ver todo dia, não me canso de olhar.

Até mais! E não deixem de dar audiência, principalmente, para conteúdos que despertem a consciência e enobrecem a alma.

Beijo me clica!®