Série de artigos vai ajudar a entender como vão evoluir as profissões em futuro próximo e como fazer para enfrentar a ameaça dos robôs no ambiente de trabalho.

Se você tem o costume de conferir sua linha do tempo no Facebook com certa frequência, provavelmente já deve ter se deparado algumas vezes com notícias “científicas” sobre robôs capazes de fazer a faxina na sua casa ou, em casos mais apocalípticos, podem até ser uma ameaça real à segurança da humanidade.

Mas o que é verdade o que não passa de exagero nessas notícias?

De acordo com o físico Michio Kaku, co-criador da teoria dos campos de cordas, os trabalhos repetitivos (amplamente explorados nas indústrias têxtil, automobilística e alimentícia) serão completamente varridos do mapa nos próximos anos.

Ele acredita que os trabalhos do futuro serão aqueles que precisam se adaptar de acordo com a avaliação prévia do profissional e demandam habilidades como criatividade, imaginação, liderança, capacidade de análise e senso comum – conhecimentos que compõem o denominado capitalismo intelectual.

E engana-se quem acredita que as mudanças trazidas pelo avanço tecnológico vão se limitar aos trabalhos de “baixo escalão”, como são os casos dos jardineiros, lixeiros, pedreiros, policiais etc.

Muitos advogados, contadores e até médicos cujas tarefas são meramente burocráticas também estão com os dias contados.

Em outras palavras, os “atritos” do capitalismo serão completamente eliminados.

A questão é: quanto tempo vai demorar pra isso acontecer?

Tendo em vista todas as tecnologias que já temos em operação hoje, como o robô Watson da IBM, que inclusive já está sendo utilizado por muitas empresas brasileiras para atendimento de clientes, e o “robô escritor” utilizado pelo jornal americano New York Times para redigir notícias mais simples, não é exagero afirmar que essa mudança já é uma realidade e não apenas “papo de futurista”.

Isso sem citar os carros autônomos, membros biomecânicos e milhares de outras tecnologias que vemos surgindo quase que diariamente.

Para se ter uma ideia, um estudo conduzido pela Universidade de Oxford  estimou que 35% dos trabalhos realizados por seres humanos atualmente, no Reino Unido, possuem uma grande chance de serem completamente substituídos por computadores (robôs ou não) nos próximos 20 anos.

Nota: Se você quer saber qual chance do seu trabalho ser substituído próximos anos, a BBC desenvolveu uma ferramenta muito interessante com base neste estudo.

Mas calma, nem tudo está perdido

Sim, os robôs irão substituir boa parte dos trabalhos que conhecemos atualmente

E isso pode ser ótimo.

Imagine viver num mundo sem trabalhos repetitivos e “inúteis”, onde você e seus filhos possam escolher uma profissão que os forneça não só o dinheiro para suprir suas necessidades básicas, mas também satisfação pessoal e propósito na vida?

Como toda mudança de comportamento, a utilização de robôs e tecnologias avançadas de Inteligência Artificial pode gerar medo e insegurança nas pessoas. Especialmente naquelas que já começaram a sofrer diretamente as consequências.

Afinal, se Ellon Musk, Bill Gates e Stephen Hawking já disseram publicamente que estão um pouco preocupados com os avanços da Inteligência Artificial, quem somos nós, meros mortais, para não nos preocuparmos?

A verdade é que, da mesma forma que essas tecnologias vão substituir ou tornar obsoletas várias funções que hoje são executadas por seres humanos, elas também serão responsáveis pela criação e fortalecimento de várias outras profissões que, pessoalmente são muito mais legais do que ficar 8 horas fechando caixas ou carimbando documentos.

Ou seja, os trabalhos do futuro serão aqueles que os robôs não podem fazer

E são eles que vamos explorar na nova série de artigos do Carreirasolo.org

Em parceria com a Exosphere vamos publicar nas próximas semanas uma série de artigos sobre quais são as profissões do futuro, incluindo opiniões e relatos de profissionais que de alguma forma já atuam nessas áreas.

Mas é claro que também queremos saber a sua opinião.

Você já teve seu trabalho substituído por um robô ou acredita que isso está perto de acontecer? Quais são as profissões que você acredita que serão exterminadas nos próximos anos?

Ou se não quiser ser tão pessimista, quais serão criadas?

Vamos continuar esta conversa nos comentários! 🙂